Abdominoplastia e Lipoabdominoplastia

Período pós-operatório: cuidados especiais até total recuperação

Vídeo com instruções para pós operatório da Abdominoplastia e Lipoabdominoplastia

Introdução

Após o procedimento cirúrgico, precisamos nos dedicar ao máximo nos cuidados pós-operatórios, para uma boa recuperação! Por isso os retornos presenciais são fundamentais, assim como o contato do Dr Rafael e equipe para qualquer tipo de dúvida ou urgência e essas orientações complementares.

Cuidados imediatos após a alta
  • Sem restrições alimentares específicas porém importantíssimo uma alimentação balanceada, mais leve, rica em fibras, além de uma caprichada hidratação (água, chás, água de coco, sucos);
  • Caso vá com dreno para casa, bastante cuidado ao levantar e se movimentar, para não tracionar de forma brusca, que possa machucar ou retirar;
  • A cinta tende a querer dobrar no abdome, principalmente ao sentar, recomendamos vigiá-la e manter o mais esticada possível, para evitar que uma grande dobra fique e possa marcar a pele (pequenas ondulações na cinta são normais);
  • Não será possível ficar em posição ereta imediatamente, o que acontecerá de forma gradual após a 2a semana de cirurgia;
  • Seguir com as medicações prescritas, conforme os horários e finalidades especificadas no receituário.
  • Apesar de não podermos forçar, devemos manter sempre movimentando os pés (para frente, para trás, movimentos circulares e empurrando travesseiro como se fosse acelerador de carro), e caminhando pelo menos 5 minutos a cada 2h; para prevenir o fenômeno de trombose venosa.
Para 2a e 3a semanas
  • Primeiro banho após 48h da alta hospitalar, sempre acompanhada – de preferência, por um familiar e também um profissional da área (sendo o mais frequente a própria esteticista ou fisioterapeuta que irá auxiliar nas drenagens linfáticas). Segundo banho realizado 48h após o primeiro, sendo a partir de então, banhos diários;
  • Abrir a cinta/body e retirar as meias de compressão sempre deitada para evitar queda de pressão.
  • Utilizar água morna corrente, limpeza com espuma de sabonete líquido neutro (exemplo sabonete Granado de glicerina), mantendo um banco ou cadeira no box para poder eventualmente se sentar.;
  • O uso da meia de compressão, devem ser mantido por 24h na primeira semana, apenas retirando para tomar banho e higienizá-las; na 2a e 3a semanas ainda manteremos o uso ao longo do dia, podendo retirar para dormir;
  • Dormir de barriga para cima, com o tronco fletido, para isso recomendamos uso de travesseiros triângulo (encontra-se em casas cirúrgicas), ou aluguel de cama hospitalar, ou ainda com série de travesseiros e almofadas, abaixo dos joelhos e nas costas;
  • Ao andar, flexione um pouco os joelhos com o tronco levemente fletido e relaxado, sem esticar a região da cicatriz;
  • Ao sentar, prefira cadeiras onde se possa encostar totalmente as costas, pouco inclinada para trás, apoiando os pés no chão;
  • A drenagem linfática é muito importante, e pode ser realizada a partir do 1º banho, com 48h após o procedimento, ainda com os drenos. A técnica manual deve ser realizada por um profissional de confiança ou indicação, de 2 a 3 sessões por semana, em geral totalizando 20 sessões, com objetivo de minimizar: edema, seroma e fibroses;
  • Pedimos para evitar a drenagem linfática nos locais que receberam a enxertia de gordura. Áreas que requerem menor manipulação possível, para melhor integração da gordura;
  • Uso de aparelhos de ultrassom de alta potência (por exemplo Manthus, Heccus etc), são liberados em geral após 3 a 4 semanas de recuperação, a depender da liberação médica nos retornos pessoais.
  • A retirada dos drenos pode ser feita entre 7 a 10 dias de cirurgia, a depender do porte do procedimento e débito diário de cada um deles.
  • A placa abdominal rígida e a faixa de velcro de 3 gomos, devem ser levados na consulta de retorno para retirada dos drenos, na qual orientamos a forma de colocação e uso, com objetivo de aumentar a estabilidade e pressão local, para reduzir edema e prevenir o acúmulo de líquido (seroma).
  • As caminhadas que eram de 5 minutos a cada 2h, após a retirada dos drenos passa a ser de, no mínimo, 1 em 1hora, em casa.
  • A retirada da cola e pontos do umbigo ocorrerão entre 2 e 3 semanas da cirurgia.
Após a 3a semana
  • Ainda não recomendamos nenhum tipo de esforço ou carregar peso, e continue com o repouso relativo.
  • Após retirada da cola e pontos do umbigo, seguem-se 3 semanas com hidratação intensa da cicatriz, utilizando óleo Dersani®, Bio Oil®, Óleo Johnson® ou óleo de amêndoas, seguido de curativo com Nebacetin®, gaze e micropore nas incisões cirúrgicas. Para o umbigo frequentemente recomendamos uso de uma pérola de bijuteria, envolvida por gaze, a partir de 4 semanas.
  • Após essas 3 semanas (total de 6 semanas após a cirurgia), em retorno presencial será avaliado a possibilidade de indicação das fitas de silicone para cicatriz, órtese umbilical de silicone, assim como pomadas que amenizem a cicatrização, como: C-Kaderm, Contractubex, Kelo-cote, Mederma
  • Uso da Cinta compressiva e placa por 24h por dia, e a faixa de 3 gomos, ao menos 8h por dia (pode-se usar uma regata de algodão por baixo);
  • A cinta/placa/faixa irão nos acompanhar até completar 60 dias, quando já poderemos começar a dormir sem cinta, mas durante o dia ainda utilizar ao menos o Corselet com 12 barbatanas, por 8 horas. No 4o e 5o meses passamos para 6h de uso diário, no 6o mês para 4h diárias e suspensão por completo, após término do 6o mês.
  • Exercícios leves serão liberados também após 60 dias (bicicleta ergométrica, caminhadas e exercícios de isometria de perna), musculação, pilates e corrida após três meses completos. Exercícios mais intensos como Cross Fit, Tênis, Boxe, lutas, entre outros, a partir dos 4 meses. Para outros esportes, atletas ou situações específicas, Vamos analisar e sentindo a situação e recuperação para que possamos liberar;
  • Evitar exposição solar por 90 dias. Após esse período, utilizar protetor solar e barreira física (fitas de silicone com fator de proteção solar ou micropore);
Para seu total conforto e segurança utilize APENAS os medicamentos prescritos, volte às consultas de retorno para o acompanhamento correto, e nos avise imediatamente caso haja:
  • Dificuldade para respirar, falta de ar, dor no peito;
  • Febre superior a 38ºC, dor intensa que não passa com os analgésicos indicados;
  • Manchas de sangue ou secreção no curativo, dor intensa ou vermelhidão em algum local da cicatriz, bem como presença de secreção;
  • Sinais de infecção na pele, como notar a região quente, inchada, avermelhada e dolorida;
    Cansaço excessivo.
Sugestão de fornecedores:
  • Body/Cinta: Yoga®, Compress®, Bonito®;
  • Meia antitrombo: Sigvaris®, Covidien® (os hospitais já fornecem a meia para cirurgia);
  • Placa anterior abdominal: BodyMedic®, Bonito®
  • Fitas de silicone para cicatriz/órtese umbilical: Siliforma (representante Jaqueline Chaves: 955009893) O’Gel® (representante Maria da Graça: 995199404), Silimed®, LifeSil®.
Mais alguma dúvida?

As sequências, mudança exata de cada etapa, tempo e período de uso de cada material, pode variar de paciente para paciente e será ajustado nos retornos presenciais pós-cirúrgico. Estou atento às necessidades e variações individuais, e o nosso contato será constante. Fico à disposição e estou aqui para apoiar e ajudar em qualquer situação neste período. Desejo uma tranquila recuperação. Conte comigo e toda nossa equipe!

Envie uma Mensagem

Nossos Canais

+55 11 2165.1636

contato@clinicamanzini.com.br

Rua Joaquim Floriano, 466 Cj. 1301 São Paulo - SP

Cirurgia Plástica Dr. Rafael Manzini
R. Joaquim Floriano, 466 – Itaim Bibi
11 2165.1636 | 2165.163711 989.054.902

Vá de Waze | Abra no Maps