A Mamoplastia de Aumento com Tipos de Prótese é um dos procedimentos mais realizados em nossa clínica e na cirurgia plástica brasileira como um todo!

Procedimento que harmoniza o contorno corporal ao todo, aumentando o volume das mamas com implantes de silicone, tanto para pacientes com a chamada Hipomastia (mamas naturalmente pequenas), quanto para as pacientes que tiveram perda do volume após a amamentação.

Além do volume do implante, existem diferentes projeções e formatos de implante disponíveis, para diferentes casos, proporções e objetivos das pacientes! Neste post falaremos sobre os tipos de prótese, que podem ser anatômicas (em gota) e redondas.

O que deve ser Levado em Consideração na Escolha dos Tipos de Prótese?

Para a escolha do implante ideal, algumas particularidades e proporções corporais de cada paciente, qualidade/elasticidade da pele, devem ser consideradas, além do objetivo, gosto pessoal e preferências técnicas do cirurgião.

Quais são as Diferenças entre os Tipos de Prótese?

A Prótese Anatômica possui o formato semelhante ao de uma mama natural – com pouco volume no colo e leve transição e contorno até o polo inferior. Geralmente é utilizada nos casos onde a paciente é muito magra, possui seios muito pequenos e deseja um aumento natural e não marcado, ou em casos de reconstrução mamária após a Mastectomia.

Esse tipo de prótese proporciona um resultado mais discreto, sem evidenciar muito o colo das mamas.

A Prótese Redonda pode proporcionar um resultado como colo mais aparente. A parte mais alta da prótese possui o desenho planejado para encaixar com a aréola. Esse tipo de implante possui uma distribuição uniforme do volume, evitando a formação de projeção na região inferior do implante.

Pode resultar em seios mais preenchidos, em um colo mais desenhado com um contorno mais definido.

O que Esperar do Resultado Final?

Se bem selecionado o volume e projeções adequados, possibilita um resultado bastante elegante.

Os detalhes prévios da mama de cada paciente influenciam bastante no resultado final: pacientes com mais volume de mama, pele mais complacente e flacidez, tenderão a apresentar um resultado mais natural, enquanto pacientes com mínima quantidade de mama e com porcentagem de gordura corporal bastante baixa tenderão a um resultado pouco mais marcado e aparente!

Todos esses detalhes devem ser esmiuçados em consultas, discutidos entre médico e paciente, para que a combinação: Mama prévia da paciente e tipo de prótese resultem no mais harmônico possível e mais próximo possível do objetivo de cada paciente.

Lembre-se: pesquise um cirurgião membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica!