Quando as marcas de expressão vão se tornando mais profundas, o sinal de alerta é acionado para o aparecimento flacidez e sobra de pele, além da queda das estruturas e tecidos da face. Para algumas pessoas, o surgimento dessas marcas traz a preocupação estética e o receio de uma aparência envelhecida.

Nesses casos, em que o reflexo no espelho não reflete a vitalidade interna, pode ser o momento de se avaliar a possibilidade de algum procedimento que possa atenuar e auxiliar no rejuvenescimento facial, sempre buscando a naturalidade como foco principal.

Com os avanços científicos e tecnológicos, os tratamentos que buscam o rejuvenescimento facial, são uma realidade, muitas vezes associando-se técnicas de cosmiatria, dermatologia e eventualmente alguma cirurgia plástica, buscando-se valorizar ainda mais a aparência exterior com naturalidade e beleza.

O Brasil só perde para os Estados Unidos em realização de procedimentos cirúrgicos e está no topo de qualidade das técnicas e resultados. A antiga cirurgia plástica facial passou a se chamar Lifting, Facelift ou Ritidoplastia e ganhou ramificações que permitem um ajuste cirúrgico de acordo com a necessidade do paciente. Desde a cirurgia mais completa de face, em geral incluindo a cirurgia das pálpebras (Ritidoplastia) até o Mini Lifting, quando se refere mais ao terço médio da face e pescoço.

 

Ritidoplastia ou Facelift

O envelhecimento facial é natural e inevitável, porém, pode ser atenuado com alguns procedimentos de rejuvenescimento. Um dos mais conhecidos é o facelift, também conhecido como lifting facial ou ritidoplastia, que é a cirurgia plástica de rosto, hoje com muito mais tecnologia e menos invasiva.

Esse procedimento utiliza uma série de técnicas para atenuar os sinais do tempo em toda a região facial e no pescoço, onde a flacidez e a perda de tônus muscular podem originar aquela chamada “papada”, que envolve a flacidez muscular, flacidez da pele, gordura localizada e queda dos tecidos da face .

O Facelift busca suavizar e corrigir as marcas do tempo mantendo a naturalidade e a fisionomia individual. O resultado, porém, dependerá da escolha de uma boa equipe, em cirurgia plástica de face, das condições da pele do paciente, estrutura muscular facial e de sua recuperação.

O procedimento é feito sob anestesia geral, em ambiente hospitalar, e dura em média, cinco horas, nos casos de cirurgia de cirurgia mais completa da face. Nesse período, o médico fará o descolamento da pele, o reposicionamento dos músculos da face (Chamado SMAS – Sistema Músculo Aponeurótico da face) e o tratamento muscular, de gordura localizada e de pele, do pescoço.

Muitas vezes é realizado em associação com a cirurgia das pálpebras (Blefaroplastia) e enxertia de gordura (lipoenxertia), nas áreas de perda de volume na face e sulcos/vincos mais profundos.

A recuperação do paciente dependerá de seu estado de saúde e do comprometimento dele com as orientações pós-cirúrgicas. Os curativos normalmente podem ser retirados em até 48 horas.

Nesse momento, apesar do inchaço e roxos na pele estarão presentes, e a partir de então vai melhorando gradualmente, até um ponto de convívio social tranquilo, normalmente na faixa dos 15 dias (até antes em alguns casos), e um resultado mais próximo do final, com 2 meses.

O procedimento não é particularmente doloroso, mas é inevitável certo desconforto, que é controlado com medicação e melhorando com os dias subsequentes, na primeira semana.

Após o procedimento, as suturas são feitas acompanhando o contorno da orelha, o que faz com que as cicatrizes sejam discretas e pouco aparentes.

A extensão dessas cicatrizes dependerá da dimensão do procedimento e quantidade de sobra de pele, mas, na maioria dos casos, elas se tornam mais suaves e menos nítidas ao longo dos meses, se tornando muito discretas.

O Facelift é indicado para o tratamento de flacidez, rugas profundas, sobra de pele, por esse motivo, é recomendado para pacientes que tenham essas características em um nível mais acentuado. Sempre tendo como objetivo principal, a naturalidade.

 

Mini Lifting

O mini lifting também tem como objetivo o rejuvenescimento facial, assim como o facelift, porém, é um procedimento de porte pouco menor, ideal para o tratamento de flacidez e rugas em estado moderado. Assim, o mini lifting é uma cirurgia menos extensa, tempo cirúrgico mais curto e com recuperação em um tempo menor, indicado apenas para pacientes que possuam pouca ou moderada quantidade de pele flácida.

As cicatrizes no mini lifting também são menores e seguem o mesmo princípio das ocorridas durante o facelift, ou seja, costumam ser discretas e pouco aparentes, ao longo do contorno da orelha.

Em ambas as técnicas, no entanto, é fundamental o acompanhamento de um médico de confiança em todas as etapas, da escolha do melhor procedimento para o seu caso até os cuidados período pós-cirúrgico.